Seja um empreendedor dentro da sua empresa

22 de fevereiro de 2021 0 min

Profissionais que tomam iniciativas para resolver problemas são valorizados pelo mercado  

Você sabia que para realizar-se como empreendedor você não precisa ter seu próprio negócio? Se você já trabalha em uma empresa, olhe para os lados, fique atento, procure as oportunidades: você pode ser um intraempreendedor nato ou aprender como se destacar tomando iniciativas que ajudem sua empresa a resolver problemas.  

Do inglês “intrapreneurship”, o intraempreendedor é um profissional bastante valorizado pelos empregadores. Ele ajuda a empresa a inovar, a não ficar para trás na competição do mercado. A capacidade de enxergar problemas e propor soluções é bem valorizada. E ainda que o projeto não vingue, você vai se destacar como alguém capaz de empreender internamente.  

Investigando as dores da sua empresa  

Mesmo sem ser dono do negócio, o intraempreendedor ajuda a construir o empreendimento. É claro que você vai ter que lidar com os recursos, estruturas e processos já existentes, além de ter autonomia limitada. Mas não são poucos os casos em que um serviço, uma solução, dão tão certo que acabam se tornando um novo setor ou até uma nova empresa.   

Lembre-se de que empreendedores em busca de negócios inovadores devem agir como investigadores, como médicos que procuram pelas dores de seus pacientes.  

Confira algumas dicas sobre o intraempreendedorismo  

1. Você tem personalidade empreendedora?  

Se você gosta de desafios, é meio caminho andado. Se você quer despertar para isso, pense em pequenos passos que pode dar, tomando iniciativas na sua área de atuação, por exemplo. Nos dois casos, analise processos e relações de trabalho, tentando identificar problemas, avanços que sua empresa precisa e como você pode contribuir.  

2. Olhe mais adiante e não tenha medo de novas responsabilidades  

Procure desenvolver uma visão geral do ambiente interno e externo. Torne-se sensível para perceber o propósito da empresa, o que ela precisa para atingi-lo e que será absorvido pelo mercado. E aceite a responsabilidade que vem junto com o desafio que você propôs.   

3. Aprenda a propor  

Os processos não são imutáveis. Ao contrário, é preciso combater a ideia de que “sempre fizemos assim”. Mas também não vale “mudar por mudar”. A novidade tem que melhorar o cenário.  

4. Não tenha medo da frustração  

Nem sempre uma sugestão é bem aceita no primeiro momento. As pessoas tendem a permanecer em sua zona de conforto. Há diferentes pontos de vista. Mas se você confia em sua ideia e consegue vê-la sendo aplicada com sucesso, reúna argumentos, organize uma apresentação que responda às dúvidas levantadas por colegas e chefia, mostre que o caminho proposto é vantajoso. Sempre no contexto adequado, com cuidado para não virar o chato de plantão.  




Compartilhe