O futuro do trabalho nos desafia a fazer aquilo que os robôs não fazem

13 de julho de 2021 0 min

Saiba quais são as competências que o profissional antenado deve ter, segundo o Fórum Econômico Mundial


Pensamento crítico, criatividade e inteligência emocional. Essas são algumas das competências que todo profissional vai precisar ter até 2025, segundo atualização feita no fim de 2020 ao relatório do Fórum Econômico Mundial, que é divulgado anualmente.

Por isso, temos ainda quatro anos para nos desenvolvermos nessas áreas, antes que novos desafios sejam lançados pelo Fórum, a partir da observação das transformações do mundo do trabalho. 

A chave para isso é desenvolver tudo que nos diferencia dos robôs, e que vai garantir a empregabilidade mesmo com o avanço da automação. 

Certamente você já ouviu falar em soft skills. Então, mãos à obra.

Lembre-se que a tecnologia trouxe em em sua esteira uma mudança na postura dos colaboradores dentro das empresas. Saíram de cargos manuais que hoje são efetuados pela tecnologia e passaram a atuar em posições mais estratégicas. 

O que isso quer dizer? Que mais competências foram assumidas pelos grupos de trabalho, exigindo uma atualização constante e estratégias que agora fazem parte do passado. O profissional antenado no futuro tem pensamento analítico, iniciativa e criatividade, liderança e influência social, entre outras aptidões.

Os profissionais mais velhos já acompanharam todas as transformações digitais, assim como os jovens já nasceram inseridos dentro da tecnologia. Então, as competências do futuro não dizem respeito à tecnologia, já que hoje é essencial o seu domínio. 

Enquanto o futuro do trabalho é tecnológico, o do profissional é aquele que potencializa o pensamento crítico, inovação, é colaborativo e tem flexibilidade cognitiva. 

Dentro desse cenário super tecnológico, o profissional além de ter que entender e trabalhar com as novidades, tem que trabalhar suas características humanas para potencializá-las. Ele deve atuar onde as máquinas não conseguem. 

Vamos a elas!


Colaboração

Trabalhar em equipe, seja ela de que tamanho for, é um caminho sem volta. É uma ação em cadeia. Juntar as nossas colaborações com as dos outros é garantia de sucesso de um projeto. E aqui a  posição hierárquica independe e entra a empatia. Ao priorizar a opinião alheia, o trabalho e suas soluções surgirão naturalmente. Trabalhar com os outros exige jogo de cintura, saber se comunicar e principalmente, respeitar as diferenças individuais. 


Criatividade e inovação

A inovação é essencial, então é preciso inovar e ir além. O profissional criativo consegue conectar informações, e a partir delas construir novas ideias. As novas tecnologias e os novos produtos exigem criatividade dos profissionais, qualidade que nenhuma máquina substitui. Se a criatividade é uma das qualidades exigidas no profissional de hoje, no futuro ela será moeda de troca dentro das organizações.


Pensamento crítico

Envolvendo raciocínio e lógica, o pensamento crítico é uma das habilidades mais bem-vindas ao profissional que queira se destacar no futuro. Ele terá que ser capaz de usar tanto a lógica quanto o raciocínio para identificar problemas, questionar e encontrar soluções. Aqui entra todo o conhecimento acumulado e a capacidade de análise. E será um dos profissionais mais requisitados do mercado.


Liderança

O líder do futuro é empático, mantém diálogo com os subordinados, cria junto, tem coerência e transparência e sua relação com o trabalho vai além de metas e índices de sucesso. É capaz de identificar os pontos fortes e fracos de seus colaboradores e tirar deles o seu melhor. Também deve entender as suas motivações e alinhá-las ao negócio. 


Negociação

Quando os conflitos divergem, o líder deve ser capaz de gerenciar, estabelecer prioridades, conciliar diversidades e chegar a um fator comum. Para isso, é preciso estar por dentro da situação da empresa, e aonde se quer chegar. Com base nessas informações, constrói-se a base de soluções. Negociar significa ouvir os dois lados, ter empatia, entender os pontos de vista e encontrar soluções, sem obstáculos.


Aprendizado contínuo

É essencial participar de forma ativa no processo de aprendizagem e ser capaz de aprender continuamente (mindset de crescimento) com domínio para traçar estratégias e alcançar os objetivos (possíveis e desafiadores), observando sua posição atual e suas metas para direcionar suas ações.


Inteligência emocional

Desenvolva a capacidade de reconhecer e regular as próprias emoções, de forma a encontrar melhor equilíbrio entre suas necessidades e potencialidades, sendo capaz de tomar decisões, gerenciar o próprio tempo e tarefas, cuidar de si, responsabilizar- se por suas escolhas e elaborar novas respostas frente às dificuldades com resiliência e empatia nos relacionamentos interpessoais.


Múltiplas linguagens e tecnologia

O futuro é de quem domina as diferentes linguagens verbais, visuais e digitais, para a aquisição de conhecimentos e sua aplicação nos diferentes ambientes sociais e profissionais e na solução de problemas com apoio de recursos tecnológicos.

 

Respeito às diferenças

Já não há espaço no mudo corporativo para que não busca entender toda e qualquer diversidade como elemento do mundo e da vida para a efetivação de ações coletivas, para a inclusão e desenvolvimento de sentimentos humanos e solidários distantes do preconceito e da intolerância.


Responsabilidade cidadã e socioambiental

Trata-se da capacidade de associar-se a uma postura que adota, individual ou coletivamente, práticas em benefício da sociedade e do meio ambiente, por meio de ações éticas que contribuam para uma sociedade mais justa e para um desenvolvimento sustentável.


Acesse nosso site



Compartilhe