Diversidade é a chave também na equipe de trabalho

24 de junho de 2021 0 min

Comunicação, empatia e tolerância, entre outras, são essenciais para aproveitar a riqueza de um ambiente formado por pessoas diferentes.


O segredo de uma boa equipe é reunir pessoas que pensam do mesmo modo, têm origens culturais e econômicas semelhantes, e é da mesma faixa de idade. Certo ou errado? Seria verdade imaginar que uma equipe homogênea parece ser a melhor solução quando falamos em trabalho em equipe?

À primeira vista, parece ser assim. Uma pesquisa realizada pela ASTD Workforce Development, em parceria com a VitalSmarts, apontou que um entre cada três funcionários confessa que gasta por volta de 5 horas de trabalho envolvido em problemas com conflito de gerações. O número representa 12% de queda de rendimento.

Há, porém, vários fatores determinantes para que se busque a diversidade nas equipes, assim como na vida: a riqueza da convivência, das trocas culturais, do debate de ideias, do exercício da tolerância e do crescimento da consciência coletiva.

A diversidade de pensamento faz qualquer grupo social tornar-se melhor, mesmo que no dia a dia haja mais embates e necessidade de refletir sobre posturas e comportamento. Essa é uma das áreas de estudo com maior crescimento hoje na Psicologia, que você pode conhecer melhor aqui.

Algumas habilidades emocionais também são desenvolvidas e amplamente aplicadas para que uma equipe heterogênea alcance a melhor performance, tanto em convivência quanto em performance profissional.  Bons gestores sabem disso e estimulam empatia, resiliência e comunicação.

Confira as dicas sobre como os diferentes podem olhar na mesma direção e compor uma equipe unida, dinâmica e produtiva!


Comunicação

A comunicação é um ponto fundamental para manter um bom relacionamento dentro da equipe. Compartilhar as informações de forma clara e sucinta, além de incentivar seus colaboradores a fazerem o mesmo, facilita a compreensão da equipe. Se precisar, repita até o colaborador compreender a informação. Por outro lado, escutar também é importante para entender os pontos a melhorar.


Inteligência emocional

A inteligência emocional está diretamente ligada ao sucesso profissional, às relações interpessoais e à automotivação.

Pessoas que conseguem ter o controle sobre as suas emoções têm mais autogestão sobre suas próprias vidas. Gerenciar sentimentos, pensamentos e emoções, prestar atenção nas reações dos colaboradores de acordo com as situações e se posicionar de forma empática, justa e solidária é essencial. Tudo isso contribui para alcançar os propósitos estabelecidos.


Comprometimento

Acreditar nos objetivos da equipe é um fator determinante para a pessoa se sentir mais comprometida. Comprometimento também significa ser leal aos propósitos de uma organização. É isso que ajuda um colaborador a manter seu foco e, consequentemente, atingir os resultados desejados. Na prática, comprometer-se com o trabalho significa exigir de si o nível máximo de rendimento e de produtividade.


Sociabilidade

Sociabilidade é a capacidade de se integrar e de se adaptar em novos grupos. Para isso é preciso ser flexível e possuir vontade de melhorar a qualidade dos relacionamentos. Também analisa o comportamento no ambiente e o nível crítico com que os grupos se relacionam. Os profissionais com baixo nível de sociabilidade são críticos e se mantêm independentes, impondo-se de forma arrogante criando possíveis rejeições dentro de seus grupos de convívio. Então, seja sociável!


Empatia

Empatia nada mais é do que se colocar no lugar do outro. Desta forma, compreender as reações emocionais e sentimentais das outras pessoas faz a diferença no ambiente de trabalho. O desenvolvimento desta competência em uma equipe é capaz de gerar relações de confiança nas organizações. Utilizando a empatia e o não julgamento você fortalecerá o relacionamento e não se mostrará superior.


Imunidade

Não deixe que a parte ruim do outro contamine você ou o grupo. Todos têm péssimos dias e podem estar de mau humor. Faça o contrário, contamine-o com seu bom humor. Como bom líder, você deve ser confiante o bastante para seguir as suas crenças e não as do outro. E como liderado deve se deixar contaminar pelos bons exemplos.




Acesse nosso site do Vestibular




Compartilhe