Cinema nacional vai para a escola

30 de julho de 2021 0 min

Filmes ajudam na compreensão de disciplinas como história, provocam debates e apuram o gosto pela arte


Desde 2014 o uso de recursos audiovisuais é obrigatório no ensino de educação básica em todo o país. A regra, que faz parte da Lei de Diretrizes e Base da Educação Nacional, prevê a exibição de filmes nacionais por, pelo menos, duas horas mensais para os alunos.

A iniciativa é um complemento curricular e pode ajudar a trabalhar conteúdos, formatos e linguagem dentro da grade curricular. Uma oportunidade para unir o audiovisual ao conteúdo aplicado em sala de aula.

Mas não basta usar o recurso apenas para preencher horas. O desafio de professores e de estudantes que usam o cinema como recurso pedagógico é escolher um título que tenha a ver com o ensinado em sala de aula, planejar atividades, provocar debates, entre outros. Confira:

Planejamento
Antes de exibir um filme é preciso observar alguns detalhes, entre eles o tempo de duração e se o título escolhido faz parte do repertório dos alunos. Fazer uma introdução da obra ajuda a melhorar a sua compreensão e melhorar o debate.

Tempo
Muitas vezes os longa-metragens têm mais do que duas horas. Então, uma boa solução são os curta-metragens, ou então dividir a sessão em duas. A regra não é válida para alguns gêneros, como o suspense, por exemplo.

Debate
A exibição, necessariamente, deve ser acompanhada por um debate. Ele é necessário para a compreensão do conteúdo. Caso não haja tempo, levante alguns questionamentos para depois retomá-los em sala de aula. Mas a discussão não precisa girar apenas em torno do filme. Ela pode ser relacionada às matérias em sala de aula. Em relação ao filme, podem ser discutidas questões como linguagem, roteiro, cenas, entre outros. 

Classificação
É importante atentar para a classificação etária do filme para saber se é condizente com com a idade da turma.

Antecipe
Existem vários títulos disponíveis na internet. Então, estude os filmes antes de exibi-lo. E não se intimide em interromper a exibição para fazer alguma observação. E estimule os alunos a dar a sua opinião!

Sem peso
Antes de mais nada, ver um filme deve ser uma experiência positiva! Então, nada de impor obrigações, como redações e dever de casa. Explique que, como toda obra, um filme é uma obra aberta a discussões e vários pontos de vista, que devem ser respeitados e discutidos.


Quer algumas sugestões?


  • Capitães de areia

Direção: Cecília Amado
Classificação: 16 anos
Duração: 96 minutos

Adaptação do livro de Jorge Amado feita pela sua neta, o filme conta a história de uma turma de adolescentes que vive pelas ruas de Salvador. Liderados por Pedro Bala, o bando de jovens formam o grupo que dá nome ao filme. O filme pode ser trabalhado na disciplina de Literatura e deve ser indicado para leitura antes da exibição. Posteriormente, devem ser feitas as comparações entre o livro e o filme, analisando semelhanças e diferenças. O interessante na obra é que ela pode gerar discussões em torno da juventude, seus conflitos e amores. Temas pertinentes para a faixa etária.


  • Tainá 3 - A origem

Direção: Rosane Svartman
Classificação: livre
Duração: 80 minutos

O filme tem duas edições anteriores e segue com a saga de Tainá, uma indiazinha que vive na Amazônia. Nele, são levantadas questões como a preservação ambiental, diversidade e consumo consciente. Outra questão que pode ser levantada é o debate em torno dos indígenas, suas lendas, hábitos e modo de viver e brincar, inclusive usando as novas tecnologias. Como atividade as questões ambientais podem ser trabalhadas, contemplando discussões sobre o consumo consciente.


  • Ilha das flores

Direção: Jorge Furtado
Classificação: livre
Duração: 13 minutos

Em apenas 13 minutos, o documentário conta a história de um tomate, desde o seu plantio até o seu descarte em um aterro sanitário. O documentário, produzido há mais de 30 anos, continua atual e é um clássico, inclusive disponível no YouTube. Aqui podem ser discutidas questões multidisciplinares, pois o filme trata da lógica capitalista de produção, e pode ser trabalhado em qualquer disciplina com alunos de qualquer idade.


  • O ano em que meus pais saíram de férias

Direção: Cao Hamburguer
Classificação: 10 anos
Duração: 110 minutos

 O filme, de 2006, trata de um período de nossa história, quando em plena ditadura militar os pais de Mauro, um garoto de apenas 12 anos, “saem de férias”. A narrativa se passa em 1970 e na realidade, os pais de Mauro estão sofrendo perseguição política. O garoto fica primeiro sob os cuidados da avó e posteriormente é cuidado por um vizinho judeu. Ótimo para o debate em sala de aula da disciplina de História. O filme representou o Brasil no Oscar de 2008.


  • O tempo e o vento

Direção: Jayme Monjardim
Classificação: 14 anos
Duração: 115 minutos

O filme é uma adaptação da obra de Érico Veríssimo e se passa no Rio Grande do Sul. Com elenco estrelado, como a atriz Fernanda Montenegro, o filme, assim como o livro, é uma aula de história sobre o Brasil. Ele narra 150 anos de história rio-grandense e certamente irá instigar os alunos pela literatura, cinema nacional e por este período da história.

Compartilhe