O futuro é agora e tem muito digital nesse caminho

09 de maio de 2022 0 min

Como escolher hoje sua profissão de amanhã


No ano passado, a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) divulgou a criação de mais de 123 mil novos empregos apenas no setor de Tecnologia da Informação. O número superou as projeções anteriores, que estimavam uma demanda de 56.693 profissionais.

Em 2020, o Fórum Econômico Mundial fez a previsão de que até este ano seriam criados 6,1 milhões de empregos entre as novas carreiras da economia digital.

Somente na área de tecnologia, a associação prevê a criação de 797 mil novos empregos no Brasil até 2025. 

Essa demanda vai se concentrar principalmente nas áreas tecnológicas como Big Data & Analytics, Nuvem, Web Mobile, Internet das coisas, Blockchain, Metaverso, entre outras.

Com tantas oportunidades novas sendo criadas, fica a grande dúvida: que carreira posso seguir?

De acordo com Daniel Pedrino, especialista em ensino digital e inovação, uma forma simples de entender o caminho de uma formação, é separando as profissões em quatro grupos. São eles:

  1. Carreiras técnicas
    Exemplos: desenvolvedores, UX designers, designers de jogos, médicos, advogados
  2. Carreiras de negócios
    Exemplos: cientista de dados, gerente de projetos, gerente de produtos, marketing digital
  3. Carreiras criativas
    Exemplos: web design, social media, copywriter
  4. Carreiras inovadoras
    Exemplo: inteligência artificial, blockchain, crypto money

Análise:

"Em inteligência artificial, parece algo numérico, mas você precisa saber do negócio, ser criativo e entender de desenvolvimento. Quanto mais amplo, mais você precisa entender um pouco do que tem no centro", explica o especialista. E veja o que ele recomenda:

Se você está querendo buscar uma profissão, a primeira coisa que eu recomendo é listar todas as matérias e cursos que mais teve prazer, que mais te desafiaram, que teve mais curiosidade de ir atrás.

A partir disso, o segundo item é se perguntar o porquê gostou mais disso. Sempre tem algumas habilidades, competências inerentes, que desenvolveu ao longo da vida. Eu adorava escola, sou curioso, adoro comunicação, conversar com as pessoas. São as habilidades que as pessoas ao redor dizem que você tem.

E o terceiro ponto é olhar quais carreiras que existem hoje no mercado. A escolha não pode ser de fora para dentro, tem que começar de dentro para fora. Entender o que faz com prazer, o que acordaria cedo para fazer e trabalhar nisso até o final do dia. 

E quarto: agora que sei o que sou bom, as habilidades e as carreiras que potencializam isso, eu posso procurar pessoas que acabaram de entrar nessa carreira e que já estão há 10 anos nela. Essas duas visões vão ser complementares.  

E, se for possível, procure as tendências de como vai ser a profissão em 10, 30, 40 anos... e digo isso na medida do possível, pois ninguém iria prever o mercado que jogos digitais se tornariam.  

E a última coisa, no final, a se fazer é escolher a faculdade

Transformação do ensino

A geração Z vai passar e está passando pela maior transformação do ensino superior já vista. E profissões tradicionais, como direito ou engenharia, são relevantes, mas esta é  uma geração totalmente digital. O offline para eles não existe.  

Se antes os candidatos a uma profissão olhavam o Guia do Estudante na hora de prestar vestibular, hoje, existe muita informação social e isso gera um grande conflito com os pais, que ainda têm muito forte a lembrança das profissões mais tradicionais. 

E os jovens estão nessa transição do presencial para o online e o formato dos cursos também está mudando.  

Então, quem está em busca de uma carreira, precisa pensar em três pontos principais. São eles:

O que eu quero fazer? 

O que eu posso fazer? 

E o que eu consigo fazer? 

E as respostas são diferentes. Na primeira, olhamos para qual é a carreira da nova geração e qual oferece renda hoje. Na hora de influência da família e influência social, ele vê que médico, engenheiro e advogado têm dinheiro. E para o jovem, crescendo e vivendo no mundo digital, há outras carreiras de alto emprego. Como as dez profissões citadas abaixo. Para todas elas, porém, é preciso investir em formação continuada. Confira:

Dez carreiras do futuro mais promissoras

1. Detetive de dados

Este profissional do futuro irá investigar o Big Data, ou seja, o grande volume de dados que são gerados todos os dias. O detetive de dados irá encontrar novas fontes de informações e extrair insights. Para isso, a formação em TI é um grande diferencial, aliado a um perfil curioso, resiliente e analítico.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Cientistas de dados, matemáticos, estatísticos, economistas, contadores, profissionais de TI, advogados e demais profissionais que atuam em investigações na área legal.

2. Facilitador de TI

Nesta função, é preciso ter formação e experiência na área de TI. O profissional deve projetar um ambiente de trabalho virtual automatizado para grandes corporações, além de criar assistentes virtuais que otimizem o trabalho dos colaboradores.

Também é responsável pela segurança, controle e compliance dos dados.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Profissionais de TI especializados em ciências ou engenharia de dados, com experiência em gestão e serviços de infraestrutura.

3. Agente de ética de sourcing

O analista fiscaliza e adequa o orçamento da empresa para atender aos padrões éticos dos acionistas e clientes, por meio do código de ética da corporação. Ele irá atuar principalmente nos setores de energia, sustentabilidade e ações sociais da empresa.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Pessoas com formação em Administração, Direito e Filosofia podem investir na área, mas o mais importante nesta profissão do futuro são as soft skills. As habilidades comportamentais mais importantes são comunicação interpessoal, perfil analítico e flexibilidade.

4. Gestor de desenvolvimento de negócios de Inteligência Artificial (IA)

Nesta função, o profissional de TI irá definir, desenvolver e aplicar softwares de Inteligência Artificial para acelerar vendas e otimizar processos dentro das empresas. A tecnologia empregada deve ser centrada no cliente, oferecendo a melhor experiência ao usuário.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Profissionais de TI com experiência em cloud computing, Big Data e arquitetura de software. Também é preciso ter passado por cargos de gestão e ter uma pós-graduação ou MBA em negócios.

5. Mestre de edge computing

O que é edge computing? É a tecnologia que otimiza a conexão de dispositivos eletrônicos à internet. Então, um mestre de edge computing irá definir o roadmap da IoT, avaliar os requisitos técnicos de implantação e avaliar o retorno do investimento em tecnologia.

Ela é essencial para a internet das coisas (IoT), por processar e armazenar os dados em um micro data center. Em português, é chamada de "computação de borda".

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Trabalhadores com formação em ciência da computação, eletrônica, telecomunicações, engenharia elétrica ou em outras áreas de TI. É importante que o profissional domine os conceitos de deep learning e cloud computing.

6. Walker/Talker

O walker/talker será responsável pela qualidade de vida em um mundo com uma expectativa de vida cada vez mais longa. O profissional irá fazer companhia aos idosos, conversar com eles, ajudá-los nas tarefas diárias e no acompanhamento médico.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Não será necessário ter uma formação específica, porém algumas soft skills precisarão ser desenvolvidas, como empatia e assertividade. 

7. Conselheiro Fitness

O conselheiro ajudará pessoas que precisam emagrecer por motivos de saúde a seguirem um estilo de vida mais saudável, o que inclui prática regular de exercícios físicos e uma alimentação balanceada. O acompanhamento será remoto ou presencial.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Profissionais com formação em Educação Física, Nutrição e Psicologia que se adaptem às novas tecnologias, como fitness trackers e wearables.

8. Técnico de saúde assistida por Inteligência Artificial (IA)

Profissional de saúde especializado em telemedicina. Auxiliará pacientes nas teleconsultas, ao realizar exames, diagnósticos e acompanhar a adesão ao tratamento de forma remota.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Profissionais da saúde que consigam se adaptar às novas tecnologias, que tenham desenvolvido as soft skills da colaboratividade, comunicação assertiva e resiliência.

9. Analista de cybercidade

As cidades do futuro adotarão as novas tecnologias para melhorar a qualidade de vida do cidadão, a partir do conceito de "smart cities". Um analista de cybercidade usará o Big Data para garantir a segurança, a mobilidade e a saúde da população.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Profissionais de TI que conheçam os conceitos de DevOps, impressão 3D e design thinking. Também precisam conhecer a Cultura Ágil e ter um perfil analítico.

10. Diretor de portfólio genômico

Este novo cargo executivo irá elaborar estratégias para produtos biotecnológicos, a partir das pesquisas mais recentes sobre o DNA. Os principais clientes deste segmento são hospitais, seguradoras e demais organizações de saúde públicas e privadas.

Quem pode seguir esta carreira do futuro:

Profissionais com formação em biologia, biomedicina, química e demais áreas ligadas à saúde. Também será necessário uma especialização na área de negócios e experiência em gestão.

O Centro Universitário UniOpet oferece qualificação nas áreas citadas acima, com cursos presenciais, semi-presenciais e EAD. Para saber mais, confira aqui!

Compartilhe