Lifelong Learning: por que é tão importante nunca parar de aprender

30 de setembro de 2020 0 min

Lifelong Learning, ou aprendizagem ao longo da vida remete a alguém que segue um estilo de vida onde os estudos fazem parte constante do cotidiano   

Um estilo de vida que vem sendo bastante discutido em artigos e nos meios acadêmicos é o lifelong learning – aprendizagem ao longo da vida, em tradução livre -, termo que se refere a busca “contínua, voluntária e auto-motivada” do pela atualização conhecimento, seja em âmbito profissional, acadêmico ou pessoal.

Existe até uma instituição que dissemina esse conceito ao redor do mundo, a Lifelong Learning Council Queensland (LLCQ). Apesar de ser um termo bastante difundido, e muitos profissionais o conhecerem, o lifelong learning ainda não é tão aplicado no dia a dia. 

Para mudar esse cenário e colocar o conceito em prática, o primeiro passo é se desprender da educação formal e reconhecer que o aprendizado não se limita à infância, adolescência ou início da vida adulta de uma pessoa – ele pode ocorrer ao longo de uma trajetória e em uma variedade enorme de situações.  

Como nunca antes na história, os costumes, os processos de trabalho, os modelos de produção e até as relações entre as pessoas evoluem em um ritmo frenético. E para sobreviver e se destacar neste mundo em constante transformação, a capacidade de aprender constantemente – até o final da vida – é indispensável. 

É nesse cenário que surge o lifelong learning. Podendo ser traduzido como aprendizagem ao longo da vida ou educação continuada, ele faz jus ao nome: aborda a necessidade dos indivíduos manterem-se constantemente estudando e se desenvolvendo.  

O conceito parte do princípio de que o modelo tradicional de educação, perpetuado ao longo do século 20, já não é suficiente para preparar as pessoas, mantê-las atualizadas, competitivas e produtivas. 

Sistemas de educação continuada como o Secad, voltado para áreas como medicina, enfermagem e fisioterapia, ganham cada vez mais visibilidade ao sintetizar a demanda atual por formação e atualização profissional.  

Como aplicar o lifelong learning  

O velho modelo de ensino que começa na infância e tem seu ápice nos bancos universitários, preparando o cidadão para o mundo em cerca de uma década e meia de estudos, já não é suficiente. E não se trata de modismo. Além do aprendizado contínuo, a assimilação do conhecimento, de acordo com as premissas do lifelong learning, dá-se muito além dos bancos escolares.  

Diferente do que se pode pensar não existe uma fórmula pronta para se tornar um lifelong learner, aderir a esse estilo de vida pressupõe romper com amarras das convenções e compreender a aprendizagem como um projeto de longo prazo, sem data para acabar. O conhecimento que se deve perseguir por toda a vida não está restrito aos cursos de graduação, pós-graduação ou atualização profissional. Encontra-se em diferentes formatos de assimilação de novas habilidades e novas competências. 

O ponto de partida é desde cedo aprender a aprender melhor. 



 
 


 


Por


Comentários