Dependência eletrônica: temos alternativa?

14 de outubro de 2021 0 min

Apagão da internet coloca empresas em alerta sobre dependência de canais de vendas


Dependente dos canais de internet para a divulgação e vendas de seus negócios, o último “apagão” das redes sociais no início de outubro acendeu uma luz de alerta nos empresários em relação à dependência do comércio eletrônico.

Os aplicativos Facebook, Instagram e WhatsApp ficaram fora do ar por sete horas. Todos os aplicativos pertencem ao Facebook. Calcula-se que 60% das microempresas tiveram prejuízo neste intervalo de tempo.

E a dependência não é para menos. No Brasil, o comércio eletrônico bateu recorde de vendas no primeiro semestre de 2021 e atingiu R$ 53,4 bilhões em faturamento.  O resultado aponta um crescimento de 31% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo números da 44ª edição do Webshoppers, relatório elaborado pela Ebit Nielsen e realizado em parceria com o Bexs Banco.

Outra pesquisa, O Impacto da pandemia de coronavírus nos Pequenos Negócios, feita pelo Sebrae, aponta que 70% dos pequenos negócios vendem online. Desse total, 84% se comunicam via WhatsApp; 54% via Instagram; e 51% pelo Facebook.

Segundo o Sebrae, os negócios dos setores de varejo e serviços, que comercializam diretamente para o consumidor final,são mais impactados quando canais de relacionamento direto com o público saem do ar, como aconteceu no início do mês.

Você, alguém de sua família ou do seu círculo de amizades, foi diretamente atingido pelo apagão? Veja como é possível se prevenir.

Dicas

1-  Planeje
A primeira recomendação da Confederação Nacional das Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais (Conampe) é as empresas se organizarem e desenvolverem planejamento visando maior número de canais de comunicação e relacionamento com o cliente, de forma a evitar situações em que fiquem “reféns do trio Face-Insta-Zap”. Como?

2- Tenha um site
Tenha um site. Um site é algo seu, onde você tem total domínio. Se não tiver como investir em um, existem alternativas gratuitas que você pode colocar no ar por conta própria, e depois investir em um mais profissional. Vale também blog e loja online.

3- Tenha outras redes
Ainda entre as dicas da Conampe está a de as empresas se colocarem em outras redes sociais e no Google, em especial por meio da rede social de baixa manutenção Google Meu Negócio, que é gratuita.

Se você já explora o formato de Reels no Instagram por exemplo, você pode aproveitar os mesmos vídeos para o Tik Tok, Kawaii e até Youtube, que agora tem um novo formato para vídeos curtos (YouTube Shorts).

4- Gestão de clientes
A Conampe sugere também que o empreendedor tenha em mãos um sistema de gestão de clientes.Nem que seja seu próprio processo, guardando suas informações numa planilha ou na hipótese mais simples, em um caderno para este fim. E lembra que a lista de e-mails também ainda é muito utilizada.

5- Não seja refém
O importante é o empreendedor não ficar refém apenas de um canal de comunicação e, neste caso, até de um grupo empresarial, como aconteceu no último apagão. Atuar em mais de uma rede social, bem como montar um cadastro de clientes com telefone e e-mail são alternativas que podem ajudar em um momento como este ou até mesmo [em casos] de sequestro da conta por algum hacker.

 6- Mais de um canal
A exemplo da Conampe, o Sebrae também sugere que os pequenos negócios avaliem a possibilidade da criação de um site institucional, loja virtual ou atuação em marketplaces e apps. Essa diversificação de canais permite ampliar acesso ao público consumidor e ficar menos exposto ao risco da atuação concentrada em um canal de vendas.

Aplicativos

1- Telegram
Telegram Messenger é um programa de mensagens instantâneas criado em 2013. É gratuito e seu conteúdo fica armazenado na nuvem, promovendo mais eficiência e rapidez no envio de mensagens e de conteúdos “pesados”, no formato PDF, por exemplo. Conta ainda com funcionalidades de áudio, imagem, vídeo, emojis e stickers. Baixe aqui

2- Signal
O Signal ganhou um número considerável de usuários após ser elogiado pelo próprio Elon Musk. O app também oferece criptografia de ponta a ponta para garantir a privacidade de seus usuários, não possui publicidade ou rastreadores de mensagens.Funciona nos moldes do WhatsApp e do Telegram, mas tem funcionalidades mais seguras que as dos rivais. Está disponível aqui para Android e iOS

3- Discord
Muito utilizado por gamers e também para gravações de podcast, o Discord é mais uma opção para quem busca conversar na Internet, por permitir também o uso de texto. Disponível no Windows, Mac, Android ou iOS, ele possui ferramentas básicas como a possibilidade de criar chats em grupo, fazer chamadas de vídeo e até adicionar bots, próprios ou de terceiros, para melhorar a navegação.

 4- iMessage
Usuários de iPhone podem contar com um serviço exclusivo dos aparelhos da Apple. O iMessage está disponível para iOS e também outros dispositivos da empresa, como iPad, iPod Touch e Mac. Diferente do sistema de SMS tradicional, o serviço permite envio de fotos, vídeos, emojis, texto escritos à mão, além de outros recursos para tornar as conversas mais divertidas

 5- Microsoft Teams
Usado tradicionalmente por empresas, o aplicativo ganhou uma versão para uso pessoal, recentemente. O serviço é gratuito e permite a criação de videochamadas e chats em grupo, além de atividades e planejamentos pessoais que podem ser feitos na plataforma. Entre os recursos oferecidos pela versão gratuita do Teams está o “modo juntos”, que permite colocar todos os integrantes de uma videochamada em um único plano de fundo, para simular proximidade. Baixe aqui

Compartilhe