Crise não afeta área de Tecnologia e contratações continuam crescendo

11 de agosto de 2020 0 min

O setor segue contratando talentos para auxiliar no desenvolvimento de softwares que auxiliem no cotidiano dos profissionais que estão trabalhando home office  

A pandemia do Covid-19 afetou muitas áreas do mercado de trabalho brasileiro, no entanto, o mercado de Tecnologia e Informação não sentiu as consequências da crise. 

De acordo com o IBGE mais de um milhão de pessoas já perderam o emprego nestes mais de 5 meses de pandemia e a grande maioria dos setores está com as contratações congeladas. Na contramão vêm as empresas de TI que estão contratando cada vez mais durante este período.  

A Revelo, startup especializada em recursos humanos, desenvolveu um estudo sobre o assunto e descobriu que houve um aumento de mais de 25% nas contratações de novos funcionários nos últimos meses no setor. 

Este dado é consequência, principalmente,  da busca de diversas empresas por trabalho em home office durante o período de isolamento social. A tecnologia passou a ser ferramenta de trabalho e de comunicação durante esta época e a busca por softwares e facilitadores do trabalho remoto cresceu exponencialmente, por isso o aumento da demanda de empresas de tecnologia em busca novos talentos.   

O coordenador das escolas de Tecnologia do Centro Universitário UniOpet, Evandro Alberto Zatti, comenta sobre a fase que o mundo atravessa e as possibilidades que seus alunos podem aproveitar no momento que vivemos: 

“A pandemia forçou as pessoas a acelerarem o processo de transformação digital. Tarefas que antes eram realizadas manualmente tiveram que ser automatizadas. Isso pode ter contribuído para um aumento da demanda de soluções de tecnologia e, consequentemente, da necessidade de se ter pessoal especializado em construir essas soluções, no caso, o pessoal de TI”.   

Por ser da área de tecnologia, as empresas de TI já estão habituadas com o home office. Desta forma, a mudança do trabalho presencial para a realização das atividades profissionais em casa foi assimilada muito mais rapidamente por estes profissionais, o que acabou contribuindo para que o “novo normal” fosse mais natural neste segmento do que em diversos outros tipos de negócios.