Alunos de Publicidade e Propaganda do Uniopet levam a prata em concurso nacional do Ministério da Saúde

13 de abril de 2020 0 min

A equipe produziu um spot, que é uma peça publicitária para rádio, sobre a prevenção da Sífilis 

Os estudantes Fernanda Sobocinki Arantes, Leonardo Tyskowski e Marlon Reway - do curso de Comunicação Social/Publicidade e Propaganda ficaram em segundo lugar no chamamento de Radiodifusão sobre Sífilis do Ministério da Saúde, Organização Pan-americana da Saúde (OPAS)/Organização Mundial da Saúde(OMS).  

Os alunos concorreram com estudantes de 18 estados brasileiros, 35 municípios e de mais de 40 Instituições de Ensino Superior. O spot será veiculado em rádios públicas, comunitárias e universitárias de todo o Brasil. 

A equipe do UniOpet, orientada pela professora Aline Nunes, inscreveu trabalhos nas categorias spot e podcast. Ambos foram selecionados para a fase final.  

Nela, os trabalhos foram avaliados por um júri de formadores de opinião. O spot ficou em segundo lugar, atrás apenas da Universidade Federal de Santa Catarina.  

O podcast não foi selecionado como um dos 6 vencedores, porém juntamente com os demais 15 finalistas, será disponibilizado no Laboratório de Boas Práticas da OPAS/OMS, no Portal de Inovação e Gestão do SUS (aspredes.org).  

O podcast contou com a participação da coordenadora dos Cursos Superior em Estética e Cosmética, de Biomedicina e de Fisioterapia do UniOpetRoxane Wieschum Silva. 

Trabalho vencedor 

O spot produzido pelos estudantes usou o bom humor e uma linguagem jovem para alertar sobre o aumento dos casos de sífilis no país, que foi de mais de 4000% entre 2010 e 2018.  

A produção teve apoio do coordenador da Escola de Comunicação, Eduardo Damasceno Ferreira, e finalização do Christian Skolimovski de Macedo, técnico do Laboratório de Rádio do centro universitário. 

Premiação 

A premiação dos vencedores seria realizada no 12º Congresso de HIV/AIDS e no 5º Congresso de Hepatites Virais, que seriam realizados em Belém, no estado do Paraná, em julho.  

No entanto, de acordo com o Ministério da Saúde, os planos foram adiados devido à pandemia de COVID-19. 

Comentários