10 dicas de brincadeiras em família para todas as idades

06 de novembro de 2020 0 min

O afastamento social acabou trazendo um pouco de tédio e falta de opções para as crianças e adolescentes. Vamos te ajudar com algumas ideias bem legais de diversão para envolver a todos 

Um grande dilema tem povoado a mente dos pais nos últimos meses: como meus filhos podem continuar brincando se não devem socializar com outras crianças como antes da pandemia de Covid-19? No final da conta as opções que restam são os livros, videogames, computador, aplicativos de celular e a companhia da televisão. 

Mas, o que muitos pais não lembram é: e se você tirar um tempo para ser o companheiro de brincadeira dos seus pequenos? Além de deixar tudo mais leve e feliz você ainda poderá fortalecer o vínculo familiar e afetivo. 

As brincadeiras em família contribuem para que as crianças desenvolvam a confiança, a comunicação, a coordenação motora e o raciocínio lógico. Ah, engana-se quem pensa que só as crianças bem pequenas brincam, viu? Vamos dar a seguir algumas dicas e sugestões de brincadeiras que vão dos 0 aos 90 anos… 

Mas antes, vamos entender a importância do "brincar". O psicólogo Linkoln Sois trabalha com crianças e suas famílias em uma clínica de Curitiba e se especializou em análise do comportamento. Em seus atendimentos sempre recomenda a seus pacientes estes momentos de interação familiar. 

O brincar é considerado como uma das fases mais importantes dos desenvolvimentos motor, cognitivo e psíquico das crianças. A verdade é que muita vezes os pais acabam negligenciando este fato por uma questão de falta de tempo. 

Dentro do contexto familiar, sempre orientamos para que passem mais tempo com seus filhos realizando atividades e brincadeiras e não apenas dar atenção aos filhos naqueles momentos em que as crianças estão sendo inadequadas e precisam ser repreendidas”, orienta o psicólogo. 

Para ele, pequenos momentos juntos aos pais acabam dando aos filhos a segurança de afeto e de carinho de que tanto vão precisar na idade adulta: “Brincar promove que as crianças se sintam vistas, olhadas, pertencentes à família. Ter esses momentos vão deixar a mensagem de que os pais estão sempre ali por elas e para elas. 

Essa certeza contribui para que os comportamentos inadequados das crianças diminuam também”. No entanto, Linkoln dá um alerta aos pais que estão se dispondo a brincar com os filhos: “Importante que no momento em que estiverem juntos a dedicação seja toda destinada a atividade que estão realizando juntos, evite fazer uso do celular ou de outras distrações que tire o foco do momento familiar”.  

O brincar é a linguagem das crianças e , por que não, dos adolescentes. Na juventude somos insuperáveis em imaginar coisas que ainda não existem, combiná-las com a realidade e, assim, ampliar o mundo. 

O tempo junto, em família, no contexto da pandemia Covid-19, pode ser uma boa oportunidade para que as crianças olhem para dentro de si, reconheçam o que as move e brinquem mais. Isso também é contato com a natureza, com a nossa própria natureza.  

Algumas dicas de brincadeiras para fazer em família  

1) Que tal um quebra-cabeças bem grande e complexo para todos serem desafiados durante uma ou duas horas por dia? A satisfação que vão sentir no fim da montagem vai, com certeza, valer a pena todo esforço. Se suas crianças são menores de 10 anos, talvez seja legal começar com um intermediário entre 50 e 100 peças e, aos poucos, ir aumentando a complexidade do desafio.   

2) Jogos de tabuleiro são sempre boas opções. Por serem super democráticos, com graus de dificuldade que vão agradar desde os bem pequenos até aos adultos, podem tornar os finais de tarde em casa em momentos de muita risada e competição.  

3) Vamos o útil ao agradável? Vocês podem, por exemplo, criar uma horta. Existem diversos tutoriais em vídeo na internet para criação de pequenas plantações. Se o espaço por aí for pequeno, melhor  fazer em vasos. 

Mas se você tem um quintal, pode até criar um pequeno canteiro com hortaliças, temperos de fácil cultivo. Desta forma todos vão se divertir plantando e, mais tarde, colhendo os frutos do trabalho feito em família.   

4) Brincar de mímica é certeza de boas risadas! Escolha um tema (filmes, séries, nomes de pessoas famosas, livros, programas de televisão...) e comecem os jogos. Em famílias maiores é possível se dividir em times de 2 ou mais pessoas e fica ainda mais engraçado.   

5) Agora com o início da flexibilização das regras de isolamento social é possível sair um pouco para andar de bike. Em Curitiba temos cerca de 205 quilômetros de ciclovias para percorrer. Coloquem as máscaras, procure um local mais calmo, respeite os limites de afastamento e saiam pedalar com as crianças e adolescentes. 

Além de ser um excelente exercício físico, um pouquinho de ar livre e sol farão muito bem a todos. Mas é importante repetir: não esqueça das máscaras e de levar água e um pouquinho de álcool em gel se for parar em algum lugar do percurso.   

6) Para manter a casa funcionando bem neste período e todas as tarefas em dia, que tal inventar uma gincana familiar onde cada atividade vale pontos e até mesmo prêmios no fim da semana? Assim ninguém fica sobrecarregado neste período e ainda assim se divertem com a competição. 

Quem ficar por último pode até pagar uma “prenda”. As tarefas e responsabilidades podem ser escolhidas de acordo com a idade de cada criança e podem ir desde manter o quarto organizado a lavar louças, pendurar roupas, dar alimentos aos animais domésticos ou colocar água nas plantinhas.   

7) Agora para quem foi criança ou adolescente nos anos 80: que tal resgatar a brincadeira do elástico? Era muito divertido e ainda queimava algumas calorias. Basta ver no Youtube que existem vários tutoriais e você só vai precisar de um pedaço de elástico para roupas.   

8) Num dia de calor intenso encha bexigas com água geladinha e comece uma guerra de bexigas onde cada uma vale alguns pontos se acertar seu oponente.   

9) Essa também é das “antigas”. Vocês só vão precisar de uma folha de papel, cada um. Vamos jogar STOP? O primeiro passo é definir nome de pessoas e objetos que deverão ser preenchidas de acordo com a letra sorteadas. As categorias mais comuns são Nome, Animais, Cores, Automóveis, Cidade, Profissão.  

Os jogadores mostram os dedos e contam qual letra foi a escolhida, sendo um dedo a letra A, dois dedos a letra B, três dedos a letra C e assim por diante. O jogador que preencher a tabela primeiro deve gritar "Stop" e, assim, os demais devem largar as canetas. 

Ganha quem somar mais acertos! O jogo exige que você seja rápido e, ao mesmo tempo, tenha uma ótima memória. Afinal, quem é que consegue lembrar uma fruta com a letra N?  

10) Que tal brincar de descobrir texturas ou sabores? No jogo do TATO ou do PALADAR a ideia é pegar objetos ou alimentos e dar para alguém vendado descobrir do que se trata. Fica mais engraçado se nos alimentos vocês selecionarem coisas bem improváveis (porém ainda comestíveis, viu?!) para que fique ainda mais difícil descobrir.   

Agora é só sair da televisão ou do computador e começar a diversão!  

 


Por


Comentários