Você‌ ‌sabe‌ ‌o‌ ‌que‌ ‌significa‌ ‌“figital”?‌ ‌

21 de julho de 2021 0 min


Novo conceito une o físico ao digital, perpassa toda a nossa vida, mas já ganha escala no mundo dos negócios


Mercados, empresas, times, pessoas, cidades, países e governos estão na transição do físico para uma articulação do físico com o digital, diz o cientista brasileiro Silvio Meira, que já era um pensador do mundo digital muito antes da maioria de nós usar um computador.

Recentemente, Meira publicou em seu blog o artigo "Nem real, nem virtual. O mundo é figital". Se você está boiando nesse assunto, leia cada palavra com muita atenção.

Trata-se de uma aula sobre o tempo que vivemos. O fato é que não há um mundo real e outro, virtual. O virtual também é real e, na realidade, o espaço competitivo para todos os mercados, que foi se redesenhando com o tempo, tem três dimensões: a física, a digital e a social, que formam o espaço figital, que criam e fomentam a transformação digital.

"A dimensão física é onde estão as lojas da década de 1950, antes da chegada dos primeiros computadores e equipamentos eletrônicos de processamento de informação. Lá, tudo era físico. A dimensão digital começa a aparecer na década de 1970 com os computadores, na de 1980 com os celulares e os CDs… e começa a se tornar ubíqua dos anos 2000 em diante. A dimensão social aparece na década de 1990 com a internet comercial e se torna universal depois da década de 2000, de um lado habilitada por nuvens computacionais e de outro empoderando pessoas com smartphones [e conectividade quase universal e pacotes de dados de preços razoáveis", ensina Meira.

No mundo dos negócios, as empresas que existiam apenas na dimensão física, com algum suporte digital, começam a descobrir que seu mercado está mudando e que o futuro pede mais.

A união da venda física com a digital criou um novo conceito de mercado. E é no mercado que o figital se materializa com mais rapidez e em aspectos mais populares.

O chamado “figital” é um conceito que envolve uma nova abordagem para todos os stakeholders, com reflexos diretores para os clientes, oferecendo mais do que produtos, mas uma experiência de compra. 

E parte do princípio de que a forma de se relacionar com o consumidor mudou, em particular na pandemia. Então, a forma de vender e se relacionar com o mercado, também. Entre as experiências oferecidas pelo novo conceito, entre outros, estão a de comprar online e retirar na loja física e vice-versa, comprar somente online e até mesmo a forma como essa compra é feita.

Com a grande oferta de mercado, o cliente omnichannel, aquele que pesquisa em sites e marketplaces, antes de consumir e se decidir pela compra, vai pesquisar muito. Então, além da experiência de compra e venda ter que ser única, a ideia do figital é que até o pós-venda seja integrado, fidelizando o consumidor.

É nesse ponto que as empresas figitais ganham pontos. Frente à grande disponibilidade de produtos no mercado, certamente este cliente pesquisou preços antes de fechar a compra. O mesmo vale para a loja física. Hoje, o cliente já chega com os valores na tela do celular. 

É aí que entra a integração dos canais físicos e digitais. Apesar de ser online, um atendimento personalizado, prático e rápido faz a diferença na hora de fechar uma venda . Estratégia de comunicação mais emotiva, integração entre os canais e pontos de venda (PDV), são algumas das estratégias para fidelizar clientes e tornar a experiência de compra única. 


Veja como as empresas estão se tornando figitais:


  1.  Estratégia Omnichannel

 O termo se refere ao consumidor que gosta de comprar online ou na loja física e para tanto, faz muitas pesquisas em sites, canais de compras e marketplaces. Por isso, ter foco na estratégia omnichannel significa atingir o consumidor nas mais diferentes frentes.Mas o que esse consumidor busca? Agilidade, atendimento personalizado, dinâmica e experiência de compra.


  1. Adaptação do negócio

Visando o cliente “omnichannel” , é essencial investir em múltiplos canais, otimizando o atendimento. Por isso é bom ficar de olho no comportamento desse cliente. Entre eles está a pesquisa de produtos em múltiplos canais; esse cliente também faz compra online e retira na loja física; nas pesquisas ele pode digitar um produto da loja para encontrar melhores ofertas, depois de ver o produto na loja pode optar pela compra virtual; compra online enquanto está na loja física.


  1. Tótens

Dentro da loja: os tótens oferecem agilidade ao consumidor. Garantem autonomia na hora da compra, praticidade, e evitam as filas, motivo de muita desistência de compras, ainda mais em tempos de pandemia.


  1. Chatboat  

 Apesar de ser feito por um robô, o sistema garante a comunicação instantânea com o consumidor. Ganhou mercado por facilitar o relacionamento entre as partes, garantindo um retorno mais ágil e objetivo. Ajuda a filtrar o cliente e encaminhá-lo ao melhor setor de atendimento.


  1. Internet das coisas

 O conceito já faz parte da realidade de muitas empresas. Entre outras vantagens, a tecnologia une todos os dispositivos de internet para gerar informação a qualquer tempo, melhorando a produtividade da empresa.


  1. Gestão ERP

O sistema de gestão ERP interliga desde o PDV até a logística de entrega. Além de facilitar o trabalho, permite a emissão de notas fiscais, imprime etiquetas de produtos e encomendas e integra o PDV.



Compartilhe